segunda-feira, 4 de abril de 2011

As Palavras



As palavras
jogadas ao vento
se esvaem como a fumaça acre do cigarro.
Sua transparência
não rima com a eloqüente
densidade falseada
pela falta da prática.
De que servem palavras vazias?
Para serem o piso da demagogia
de oradores hipócritas?
Não!
Definitivamente, não!
Mil vezes, não!
Eu concebo a palavra
como sendo o prenúncio dos atos.
As retóricas sem desdobramentos ativos
não cativam meu cérebro exigente.
Como poeta,
vejo nas palavras
o início da possibilidade de mudanças.
Em nenhuma outra
enxergo tão forte comoção:
a ti, entrego a minha vida, Revolução!


Um comentário:

  1. Concordo Toni "De que servem palavras vazias?
    Para serem o piso da demagogia
    de oradores hipócritas?"
    Pois é desde sempre é usada.
    rsrsr

    ResponderExcluir