sábado, 24 de setembro de 2011

ARRISCANDO


Quando sem explicação
as lágrimas caem
a voz entala
o coração pesa
as luzes apagam
os sonhos acabam
as dores aumentam
a saudade castiga
os olhos enganam
os amores encanam
a certeza é fugaz
a dúvida é premente
passado e presente
assim num só
a vida é um nó
que não engravata
e quem desata
não faz um favor
é dono do amor
que se habita
no peito em flor
da folha que risca
a resposta que dá
o beijo de língua
o desejo sacia
sem melancolia
se sente alegria
de tudo fazer
e corresponder
tal sentimento
é sempre um risco
gostoso perigo
melhor é correr
do que não saber
o sabor da maçã
quando chega a manhã.

Um comentário: