terça-feira, 28 de junho de 2016

OLHOS DE NEON





Olhos de neon
Brilho fosco, opaco
Melancolia sem tom
Deste triste espetáculo.

Que atrai, retrai
Encanta, distrai
E logo acaba, passa
Como neblina fumaça

Cega por instante
Fuligem natural
Gozo dos amantes

E depois, bem mal
Fio da lembrança resvala
Experiência que se cala.

INVERNO




 
Aquece-me o frio da noite de inverno
Seus braços em mim entrelaçados
O calor de seu corpo no meu peito
Lareira um do outro abraçados

Tornamo-nos nós um só ser
No fervor de nossas almas contido
O sangue pelas veias a correr
E nossas auras a brilhar no infinito
 
Não há tempo que nos gele
Ou nos impeça quentura
Em nossos beijos, sexos, frescor

E no toque de nossa pele
O suor é mel e doçura
No gozo a nos derramar amor.